Pesquisar

pt br  en us

 

capes horizontal   

Cnpq

        

periodicos2

 

logo faperj cor

 

IMG 20200213 170057 398

 

 

O INCT Política Pública, Inovação e Desenvolvimento Urbano coordenado pela professora Tamara Egler tem o prazer de convidar para o Seminário Inovação na Política e no Território que ocorrerá nos dias 25,26, 27 de março de 2020, em local a ser definido brevemente.

 

A tecnologia é associada ao avanço da informática, mas pesquisadores vêm mostrando o lugar da tecnologia na política e no território, capaz de redefinir as relações espaço-temporais e colocar em comum a ação de instituições e pessoas que estão posicionadas em diferentes esferas e escalas. Além de trazer formas nunca antes imaginadas de organização política em rede sociotécnicas, que associam vitalidades e virtualidades, transversalidades e transescalaridades. 

 

O objetivo do seminário é revelar as transformações nas relações de poder sobre o território, a ação das redes sociotécnicas, o papel dos movimentos sociais, as transformações na educação, a perspectiva das cidades inteligentes, e as implicações desses processos na democracia.

 

Acompanhem o Laboratório pelo Facebook https://www.facebook.com/labespacoufrj/

 

mulheres MCMV

                                              Foto Ilustrativa - Crédito: Vermelho.org/Reprodução

 

O trabalho “O Gênero da Habitação: a diretriz de titulação feminina no Programa Minha Casa Minha Vida”, resultado de pesquisa desenvolvida durante o Mestrado no IPPUR pela pesquisadora Poliana Gonçalves Monteiro, recebeu menção honrosa no dia 17 de dezembro, no evento CAU+Mulher. A premiação foi promovida pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU/RJ) com intuito de dar visibilidade, entre outras categorias, ao trabalho teórico de mulheres Arquitetas e Urbanistas.

 

A dissertação relaciona o espaço urbano àqueles que o habitam, dando ênfase no gênero como um elemento fundamental para a compreensão de um sistema opressor, exploratório e patriarcal que impõe a ocupação, distribuição e significação do território de maneira desigual. A autora compreende, nesse sentido, que a desigualdade de gênero no acesso ao sistema urbano, produzida pela produção capitalista do espaço, determina um acesso desigual ao sistema urbano que, por sua vez, provoca um desenvolvimento espacial desigual que permeia material e simbolicamente o cotidiano da sociedade.

 

Nesse sentido, a Diretriz de Titulação Feminina se estabelece como uma interlocutora entre as questões referentes à habitação de interesse social, assim como à desigualdade de gênero, afirmando a conexão entre as elações de gênero, a produção do espaço e o padrão desigual de acesso à cidade de mulheres e homens. A partir desses aspectos, Poliana Monteiro analisa o ingresso à cidade, caracterizando-a como um local socialmente oprimido, politicamente invisibilizado e economicamente vulnerável, compreendendo a Diretriz como uma possível transformadora das desigualdades de gênero diante da produção capitalista do espaço.

 

A partir de uma pesquisa empírica, a autora evidenciou o “acúmulo de vulnerabilidades inerentes à desigualdade de classe e gênero em seu nexo com o sistema urbano e reafirmou a pertinência de noções como feminização da pobreza e divisão sexual do trabalho”. A análise de que a vulnerabilidade feminina é ainda mais acentuada no conjunto periférico do que nas outras localidades da cidade apresenta, nesse sentido, a relevância das desvantagens inerentes ao processo de constituição do espaço urbano, sendo evidenciadas pela dissertação uma série de características que acentuam ou reduzem essa realidade extremamente desigual.

 

Acesse a dissertação “O Gênero da Habitação: A Diretriz de Titulação Feminina no Programa Minha Casa Minha Vida” no link: http://objdig.ufrj.br/42/teses/869346.pdf

Encontro EducacaoPopular

Estão abertas as inscrições para o “Encontro Internacional Educação Popular e Cidadania: Experiências e Desafios”, que tem como objetivo propiciar o intercâmbio de experiências, pesquisas e reflexões com foco na Educação Popular - caminho de construção de uma sociedade fundada numa cidadania emancipada e emancipatória.

Textos, vídeos, pôsteres, exposições de vários tipos, apresentações teatrais, performances e outras formas de expressão serão admitidas, contemplando diálogos cruzados entre militantes de movimentos sociais, educadores populares, pesquisadores e acadêmicos de diferentes países. O evento ocorrerá entre os dias 27e 31 de julho de 2020, com prazo para submissão de propostas dia 31/03 e divulgação dos resultados da seleção de propostas dia 15/04.


Para mais informações, inscrição e submissão de propostas acesse o link: http://confedpop2020.com.br/  

Está aberta a chamada para envio de resumos para o próximo encontro da ALA (Associação Latinoamericana de Antropologia), que ocorrerá em novembro deste ano em Montevidéu - Uruguai. As inscrições ocorrem online, com o prazo para envio de trabalhos até o dia 3 de abril, e divulgação dos resultados em maio.

 

VI Congresso da Associação Latinoamericana da Antropologia – ALA

Montevidéu, Uruguai, de 24 a 27 de novembro de 2020. 

Convocatória para envio de resumos (até 3 de abril de 2020)

 

Painel: Ressurgências. Lutas anticonfiscatórias por singularização na América Latina.

Coordenação: Jorge Mattar Villela (UFSCar - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.); Cecília Mello (UFRJ - (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.)); Ana Claudia Marques (USP)

Esta convocatória é direcionada a profissionais da área de Antropologia, ainda que não exclusivamente, assim como a estudantes de graduação e pós-graduação (mestrado, doutorado) em Antropologia Social e Cultural e áreas correlatas. O envio do resumo é feito online, através da plataforma do Congresso: http://ala2020.com.uy/

 

Para enviar uma proposta de resumo de apresentação, deve-se: 

1. Registrar-se na plataforma web do Congresso, acima indicada;

2. Escolher um Simpósio em que queira que seu resumo seja avaliado. Importante: as apresentação devem direcionar-se a Simpósios e não a eixos temáticos ou mesas de trabalho.  

3. Completar o formulário online com os seguintes dados: nome e sobrenome, filiação institucional, cidade e país, ultimo título obtido, endereço e telefone. 

4. Completar o formulário online com os dados da apresentação: título, resumo (300 palavras) e até cinco palavras-chaves.

 

As propostas devem ser feitas em espanhol ou português. Se desejar apresentar uma proposta em inglês, francês ou outro idioma, uma tradução para o português ou espanhol deverá ser incluída pelo(a) proponente. O Congresso não terá tradução simultânea.  A convocatória está aberta até a data-limite de 3 de abril de 2020. O resultado da seleção dos resumos de apresentação será divulgado em maio de 2020. 

 

Dúvidas ou problemas com a inscrição, favor dirigir-se à María Nobel Curbelo, Secretária Técnica da Organização do Congresso, no email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A Tese defendida no programa de pós-graduação planejamento urbano e regional (IPPUR/UFRJ), em maio de 2019 por Frederico Oliveira Alfaix Assis, é um estudo histórico e etnográfico dos contrates e coexistências sócio-ideológicas e físico-visual entre o condomínio modernista Cruzada e o Shopping Leblon pós-modernista no Jardim de Alah, bairro do Leblon no Rio de Janeiro.

Sua inserção no campo de pesquisa foi através do projeto sócio musical “Palavras Cruzadas”, que busca romper os estigmas sociais do condomínio Cruzada, cujo os moradores pioneiros são provenientes da extinta favela do Morro do Pinto, se auto percebem como favela vertical ou favela de concreto armado e revelam os alcances, limites e desdobramentos pós-ocupacionais de um ideal de inclusão territorial e a prática de exclusão simbólica.

Neste sentido, a pesquisa tem como objetivo central identificar alguns dos mecanismos de inviabilização e estigmatização arquitetônica e social no cotidiano da habitação social do condomínio Cruzada, enquanto ambiente construído e vivido. Em especifico, a pesquisa mostrar como a sociedade do consumo permite a uma elite do bairro acessar uma rede global de marcas e etiquetas mediadas por um Shopping, que funcionaria também como uma rede local de sociabilidade visual e atitude blasé. Analisa a relação de assimétrica arquitetural da Cruzada com o Shopping. E, investiga como a configuração espacial conflitiva forja e estabiliza a memória coletiva, a distância social, econômica, cultural e religiosa entre os moradores da Cruzada com os frequentadores do Shopping.

O trabalhou foi orientado por Pedro Novais de Lima e co-orientado por Fabrício Leal de Oliveira.

Acesse: <http://objdig.ufrj.br/42/teses/886328.pdf>

UFRJ IPPUR - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ