Pesquisar

pt br  en us

 

capes horizontal   

Cnpq

        

periodicos2

 

logo faperj cor

 

Revista Ambiente e Sociedade — Prazo: 6 de abril

 

A Revista Ambiente e Sociedade está aceitando trabalhos para o dossiê Insurgências Decoloniais e Horizontes Emancipatórios: Contribuições da Ecologia Política, em especial para os trabalhos que foram apresentados no III Congresso Latino-Americano de Ecologia Política. 

 

Os artigos podem ser submetidos em português - espanhol - inglês, mas precisarão ser traduzidos após o aceite (português e espanhol para o inglês; inglês para o português ou espanhol), e tem um custo para submissão e publicação do artigo. Os trabalhos que foram apresentados no congresso, terão uma ajuda financeira de publicação dos artigos aceitos.

 

O processo de submissão de artigos pode ser encontrado no site da revista: scielo.br/asoc e a chamada da publicação está disponível em

https://1448c24b-c842-4e35-9210-4df1692d1a6a.filesusr.com/ugd/b542e1_f1f33bea5a1449408d178f114eaf4da4.pdf.

PET

 

 

O Programa de Educação Tutorial (PET) Conexões, objetiva ações inovadoras que ampliem a troca de saberes entre as comunidades populares e a universidade, valorizando o protagonismo de estudantes universitários beneficiários das ações afirmativas no âmbito das Universidades públicas brasileiras, contribuindo para a inclusão social de jovens oriundos das comunidades do campo, quilombola, indígena e em situação de vulnerabilidade social. O projeto visa o desenvolvimento de atividades que promovam o intercâmbio de saberes, e o conhecimento de epistemologias, metodologias e culturas de Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana do município do Rio de Janeiro, especialmente quilombolas e povos de terreiro. 

 

Serão selecionados 11 bolsistas remunerados, para estudantes dos cursos de graduação da UFRJ, das seguintes áreas do conhecimento: Ciências Humanas; Ciências Sociais Aplicadas; Linguística, Letras e Artes. Estão abertas as inscrições para bolsistas do Grupo PET-Conexões "Povos de Terreiro e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana” no período de 07 a 14 de fevereiro de 2020 e as informações constam no Edital, disponível no enlace: http://ess.ufrj.br/images/Noticias/Divulgacao/Edital-selecao-Bolsistas-PET-2020_Povos-Terreiro_Prof-Mirella.pdf.

O Instituto República lançou no dia 4 de de fevereiro uma websérie com foco nas histórias de profissionais públicos brasileiros. "Pessoas Públicas" irá apresentar 12 histórias que quebram estereótipos sobre o serviço público e despertam esperança. Em um cenário de desesperanças e estigmas relacionados ao serviço público no Brasil,  o diretor Luís Gustavo Ferraz conta 12 histórias de profissionais fluminenses inspiradores, que revelam um serviço público para além dos estereótipos.

 

Em cada episódio, Ferraz traz uma trama que aborda pelo menos um aspecto da vida pessoal e do trabalho dos profissionais públicos. Como Daniel Lima, que sofreu uma experiência de exílio, largando sua vida e seu violão por causa do trabalho. Ou como Jackelinne, que mesmo após sofrer uma anemia profunda, foi premiada por seu trabalho no serviço público.

 

Os episódios serão publicados às terças e quintas no canal da República.org no youtube. Assista o trailer em: https://www.youtube.com/watch?v=UqDCythS6UE.

Seminário Blumenau

 

 

Está aberta até o dia 31 de março de 2020, a chamada para submissão de resumos para La Red Iberoamericana de Investigadores sobre Globalización y Territorio (RII) que será sediado na Universidade Regional de Blumenau (FURB), em Blumenau, Brasil, de 25 a 27 de novembro de 2020.

 

A RII é uma comunidade de pesquisadores interessados ​​em trabalhar sobre questões territoriais e foi criada em 1994, a partir de um Seminário realizado na cidade de Pereira (Colômbia). Tem como objetivo promover estudos e análises sobre as transformações territoriais decorrentes do processo de globalização nos países da América Latina. Desde sua criação, foram catorze seminários internacionais.  

 

O próximo evento tem como objetivo apresentar abordagens alternativas à democracia e à geopolítica dos atores sociais da América Latina sobre a transformações territoriais impulsionadas por novas formas disruptivas de globalização. 

 

A submissão do resumo pode ser feita para os grupos temáticos-subgrupos.

 

GRUPO 1: Reestruturação econômica global e transformações tecno-produtivas: impactos territoriais e socioambientais das mudanças climáticas.

GRUPO 2: Globalização, financeirização, crise global, nova geografia da urbanização e metamorfose urbana.

GRUPO 3: Desigualdades sócio-territoriais nos processos urbanos e regionais: Novas abordagens para questões antigas?

 

A taxa de inscrição até 31 de julho de 2020 é US$ 90,00 para expositores profissionais. E, US$ 50,00 para estudantes e não expositores. A partir de agosto, será US$ 120,00 para expositores profissionais e US$ 75,00 para estudantes e não expositores

 

Acesse o sitehttps://doity.com.br/seminariorii

Para mais informações, entre em contato através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

 

BNH

                                                                                                                                                                                  Crédito: Resumo Imobiliário

 

O documentário “BNH: Controvérsias de uma política habitacional”, produzido nos anos de 2016 e 2017 a partir de uma oficina do curso de Gestão Pública para o Desenvolvimento Econômico e Social (GPDES - IPPUR/UFRJ), busca apresentar as controvérsias da política habitacional implementadas pelo Banco Nacional de Habitação (BNH) no período de 1964 a 1985.

 

O BNH, instrumento de planejamento utilizado pelo regime militar, foi responsável por criar diversos processos de ocupação da cidade, tendo como seu principal objetivo a promoção de acesso ao mercado de morarias, por meio do aumento das moradias de caráter social. Tendo sido a única instituição financeira que decretou falência por meio de um Decreto, a elaboração de moradias para aqueles indivíduo que eram até então excluídos do mercado formal teve como sua principal ferramenta a elaboração de um novo sistema financeira, baseado na correção monetária. As duas vertentes desse sistema, sendo elas a Caderneta de Poupança e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), subsidiavam as moradias populares, fazendo com que, por meio dos  juros em taxas de mercado, o mercado subsidiasse a política habitacional. 

 

No entanto, Banco Nacional de Habitação (BNH) era utilizado como uma contenção para o avanço de ideologias não desejadas pelo regime ditatorial, além de beneficiar o mercado imobiliário através do afastamento da população pobre das áreas economicamente mais valorizadas. Assim, o BNH era instrumento de contenção das revoltas pela moradia, que já eram realidade em diversos países da América Latina, gerando um enfraquecimento dos movimentos organizados e, posteriormente gerando um crescimento desordenado das áreas mais afastadas sem democratizar o acesso à escolha habitacional. 

 

Assista ao documentário através do link: https://www.youtube.com/watch?v=aCz6cVI-ItY.

 

UFRJ IPPUR - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ